Por quê precisamos nos preocupar tanto com SEO?

Se você é do meio digital, já deve ter notado que técnicas básicas de SEO, como URLs amigáveis e keywords já não fazem mais efeito quando tentamos posicionar (e manter) nosso site/blog nos primeiros resultados de uma busca, concorda?

É verdade que esses algoritmos de busca evoluem muito mais rapidamente do que podemos acompanhar. Enquanto estamos trabalhando em ajustes nos nossos sites, os grandes players, como Google, Microsoft (bing) e Yahoo já utilizam novos parâmetros que definem a ordem e importância do conteúdo que você está fornecendo. Parece que estamos enxugando gelo. Então qual seria o segredo para manter-se em destaque? Como alguns sites e blogs conseguem esta façanha? Pura sorte? Hummm, absolutamente não! Existem técnicas que são muito bem “respeitadas” pelas ferramentas de busca, mas não se restringem às boas práticas velhas de guerra. O buraco é bem mais embaixo.

A ideia aqui é entrarmos um pouco à fundo nos detalhes desta técnicas. Se ao final deste artigo você concluir que precisa mudar pelo menos 1% do seu projeto de SEO, considero-me satisfeito.

Vamos começar analisando alguns fatos:

  • Ferramentas de busca são a base de toda a Internet. Dentro de um mar de bilhões de sites e páginas, fazer com que seu conteúdo seja encontrado e apresentado na primeira página de um resultado de busca parece até um milagre, concorda? Você já reparou que quase sempre os primeiros resultados de uma busca são exatamente o que você precisa? É verdade, esses algoritmos são realmente bons no que se prestam a fazer.
  • Eu aposto que, se você verificar os relatórios de acesso do seu site no Google Analytics, vai notar que a maioria dos usuários chegou até você através de uma ferramenta de busca (a origem deve aparecer como orgânica). Verifica lá, mas, por favor, desconsidere mídia paga, Não é nosso interesse aqui gastar dinheiro para atrairmos mais clientes para nosso site.
  • De acordo com o site SimilarWeb, mais de 70% do trafego para o site Yelp.com, por exemplo, é fruto de busca orgânica. Trata-se de um número extremamente alto, concorda? Este número, no mínimo, prova a importância que o SEO deve ter para esta empresa. Você deve estar me questionando: “Ah, mas o Yelp é um gigante. Com certeza eles apareceriam em primeiro no ranking”. Concordo! Mas você também concorda comigo que quanto menor é o seu negócio, mais importante deveria ser o SEO para você?
  • Em 2013, quando o Google ficou fora do ar por 5 minutos, o trafego da internet despencou 40%. Dá pra imaginar se isso acontecer nos dias de hoje?

Ok! Já estamos convencidos da importância de cuidarmos bem do que é nosso, certo? Mas o que podemos fazer para que nossa agulha seja encontrada dentro do imenso palheiro da World Wide Web? Vamos listar aqui alguns dos principais pontos a serem trabalhados.

1. Preocupe-se com a Usabilidade do seu site

Opa, mas o que usabilidade tem a ver com SEO, meu amigo? Tudo!

Uma vez que os usuários encontraram seu site, o desafio passa a ser mantê-los por lá o máximo de tempo possível, concorda? E os buscadores dão muito valor para sites que, além de atraírem usuários, também conseguem mantê-los lá por um bom tempo. De acordo com o site JeffBullas.com, os itens mais importantes da usabilidade em um website são:

 

  • Eficácia: os usuários conseguem encontrar as informações que necessitam quando entram em seu site? Você se garantiu que inseriu tudo o que era necessário em suas páginas?
  • Eficiência: complementando a eficácia, assumindo que este primeiro item está ok, quanto tempo os usuários levam para encontrar o que precisam? Não basta a informação estar lá, ela precisa ser encontrada facilmente. Tente entrar em sites do governo e encontrar algum conteúdo que não esteja nos destaques. Você vai entender o que estou falando.
  • Facilidade de navegação: você não tem que explicar para os usuários como eles devem navegar no seu site. Siga os padrões já consagrados. Não reinvente a roda se ela não girar corretamente.
  • Memorização: na próxima vez que os usuários precisarem do seu site, eles conseguirão encontrar facilmente? Returning visitors alavancam e muito seu ranqueamento nos resultados de busca.
  • Prevenção de erro: deixar que o usuário caia em uma página 404 é, no mínimo vergonhoso. Certifique-se que todos os links estão funcionando corretamente e trabalhe o layout da sua página de erro. Assim, caso alguém caia ali por qualquer razão que seja, saberá como sair de lá sem abandonar seu site.

2. Certifique-se que o conteúdo do seu site é relevante.

Você sabe o que significa Dwell Time? É o tempo que o usuário passa no seu site, entre o clique no link em um resultado de busca até o momento em que ele volta para a SERP (Search Engine Results Page). Isto significa que quanto mais tempo o usuário passou lendo o conteúdo de uma página do seu site, mais provável é de que ele ali ele encontrou um conteúdo relevante. Este termo foi utilizado pela primeira vez por Duane Forrester, do Bing. A explicação que ela nos dá faz muito sentido. Veja:

Your goal should be that when a visitor lands on your page, the content answers all of their needs, encouraging their next action to remain with you. If your content does not encourage them to remain with you, they will leave.

Sua meta deve ser atingida quando algum usuário entra em sua página e encontra a informação que ele procura, o que o encoraja a continuar no seu site. Se seu conteúdo não atende ao que ele procura, ele vai embora.

3. Seu site carrega rápido?

Há anos o Google vem trabalhando incansavelmente para auxiliar os desenvolvedores a construírem sites mais “leves”, ou seja, que possuem um tempo de carregamento rápido. Eles inclusive adicionaram esta métrica como um dos elementos que definem o posicionamento do seu site.

Para não deixá-lo com esse abacaxi nas mãos, o Google também disponibilizou uma série de ferramentas que podem te auxiliar nessa tarefa. Veja algumas aqui:

Algumas outras ferramentas conseguirão te ajudar a eliminar aqueles KB extras tão indesejados.

Compressores de imagens:

Compressor de arquivos HTML, CSS e Javascript:

4. Utilize corretamente as tags HTML

Existem seis tags header, que vão do H1 ao H6. A ordem de importância vai reduzindo de acordo com o aumento do número da tag. H1 é a mais importante e só deve ser utilizada uma vez em cada página. H6 é a menos importante na hierarquia. Veja um exemplo de utilização dessas tags:

  • H1: Utilize para título do assunto principal da página
  • H2: Subtitulo do assunto principal
  • H3: Sub-subtitulo, se necessário
  • Textos de descrição devem sempre estar dentro de tags <p>

Respeitando as tags e suas hierarquias você estará ajudando, e muito, os robôs a entenderem o conteúdo do seu site. Se eles entendem, eles categorizam com mais assertividade.

5. Seu site deve ser responsivo

crescimento de usuários mobile

 

Mobile friendly não é mais um termo novo na vida dos desenvolvedores. Na verdade, já é bem discutido e sua importância é comprovada. Navegação através de dispositivos móveis ultrapassou os desktops em 2014, como vocês puderam notar no gráfico acima (fonte: ComScore). E este é um caminho sem volta. Se você não está preparado para exibir seu conteúdo de forma amigável para alguém que chega até ele através de um celular, então este usuário também não está mais preparado para consumir seu conteúdo.

viewport desktop mobile

 

Se você não tem ideia de como criar um site responsivo, o Google te dá aquele empurrãozinho aqui.

Trabalhando bem esses pontos acima eu garanto que você se surpreenderá com a melhoria no posicionamento do seu site daqui pra frente. Vá além das keywords. Construa um site que seja prazeroso de se navegar, onde seus visitantes se sintam à vontade.